Regras de som para eventos e a Lei do Psiu

//Regras de som para eventos e a Lei do Psiu

Regras de som para eventos e a Lei do Psiu

O poder da música contagia qualquer ambiente, sendo uma ferramenta indispensável para embalar os eventos mais descolados. Cada uma a seu estilo, o céu é o limite para criar atrações e embalar o público no seu ritmo. Entretanto, em uma cidade tão diversa quanto São Paulo, existem algumas regras de segurança que devem ser respeitadas para que o seu evento seja  um sucesso do começo ao fim. Confira agora quais são elas no Blog Tudo Sobre Eventos:

Segurança para os clientes

Para garantir a segurança e experiência completa de cada cliente, as políticas de som devem ser criadas de forma diferenciada para cada espaço. As regras direcionam o trabalho das casas dentro de seus possíveis formatos e levam em consideração os usos de área interna e externa, de acordo com cada localização. Bairros situado em áreas privilegiadas, dentro zonas residenciais ou áreas comerciais, tendem a ter mais regras do que os espaços de áreas afastadas.

Formatos e destaques

Tá na dúvida sobre como realizar o evento dos seus sonhos com muita música? Existem alguns formatos campões para situações como essa.

Não deve ser permitido, por exemplo, bandas em áreas externas em bairros residenciais e comerciais, por exemplo. Neste caso, é solicitado que as áreas externas sejam utilizadas dentro de outras finalidades. É possível, por exemplo, a produção de lounges e bares. Ou que se aproveite as varandas com atrações acústicas no período das 18 às 22 h, com as caixas de som voltadas para área interna.

Outra opção é que as bandas fiquem restritas a espaços internos. A acústica com portas fechadas,  inclusive pode favorecer a qualidade do som, que passa a não se dispersar pelo ambiente e concentra sua qualidade em uma área menor.

Recursos isolamento acústico

Além de formatos recheados de qualidade, existem também alguns recursos técnicos que permitem a sua festa ter sucesso do início ao fim. O uso de portas giratórias para divisão do espaço interno e externo, por exemplo. Elas atenuam e muito a passagem de som, que perde o contato direto com a área.

Outro recurso são as cortinas anti-ruído, que auxiliam no isolamento do ambiente. Mais grossas, elas retém o som e se camuflam dentre as cortinas regulares, dando um aspecto mais sofisticado.

Para o controle desse impacto,  durante todo evento, um decibelímetro controla nas extremidades das varandas o volume de som. Caso ele ultrapasse os valores permitidos, os produtores do evento são acionados e garantem sua continuidade tomando as providencias adequadas.

Verifique quais desses instrumentos são os mais adequados para o seu tipo de evento.

Compromisso com a comunidade e a Lei do Psiu

Tão importante quanto a satisfação do cliente final, está o relacionamento com a comunidade na qual o espaço para eventos está inserido. Para garantir o conforto de todos, foram criados compromissos dos produtores com a gestão pública.

O Programa Silêncio Urbano (PSIU), da Prefeitura da Cidade de São Paulo, busca combater a poluição sonora. O objetivo é tornar mais pacífica a convivência entre os cidadãos, além de atender preceitos constitucionais. Ou seja, a qualquer momento do dia, as reclamações sobre barulho são acolhidas e avaliadas dentro dos espaços mais comprometidos.

A ideia é abrir as portas para comunidade e criar um ambiente de diálogo e confiança entre todos. Uma forma moderna de proporcionar experiências agradáveis para clientes, produtores e toda comunidade.

Agora que você sabe tudo sobre as regras de som para produção de eventos, chegou a hora de começar a pensar em quando colocar todas essas dicas em prática. Baixe agora o seu Planner para Eventos e comece hoje a organizar seu evento. Temos certeza que você também tem algo de muito legal para dizer para o mundo!

Por | 2018-10-31T12:26:56+00:00 31 de outubro de 2018|Eventos Corporativos|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixe seu Comentário